fbpx

Saúde – Protesto contra o fechamento do Pronto-Socorro do Hospital Vila Alpina

Participei na manhã deste sábado (27) do importante ato público organizado pelos Movimentos Populares de Saúde da Vila Prudente e do Sapopemba, além da Brigada pela Vida, contra o fechamento de portas do Pronto Socorro do Hospital Estadual Vila Alpina.

Durante a minha fala apresentei proposta de junto com os deputados estaduais presentes (Paulo Fiorillo) e (Jorge do Carmo) apresentarmos requerimento para realizar audiência pública sobre essa decisão do governador João Dória e o seu impacto na rede pública municipal.

Desde 1 de fevereiro o PS deixou de atender de portas abertas. Até maio está fazendo triagem e só atende casos emergenciais. Pacientes com quadros menos graves são encaminhados para equipamentos municipais.

A partir de maio o Vila Alpina só receberá pacientes de ambulâncias encaminhados de outros equipamentos de saúde. Mesmo assim a procura nas unidades municipais registrou aumento de 13 mil atendimentos nos quatro prontos-socorros fechados: Pedreira e Grajau, zona sul, Itaim Paulista e Vila Alpina, na zona leste. Essa nova demanda está custando R$ 28 milhões, segundo o secretário municipal Edson Aparecido.

Na manifestação de hoje pessoas portavam cartazes de protesto. Ao microfone se revezaram com questionamentos dos motivos do fechamento. E argumentavam que a população ficará desassistida para conseguir atendimentos emergenciais, pois Vila Prudente, São Lucas e Sapopemba não dispõem de UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e as AMAs (Assistências Médica Ambulatoriais) funcionam das 7h às 19h.