fbpx

Militantes abrem a Casa de Referência da Mulher

Militantes que organizam as lutas do Movimento de Mulheres Olga Benário abriram as portas hoje (27) da Casa de Referência da Mulher. A unidade funciona no imóvel ocupado pelo movimento na Rua Padre Vieira, 143, no Canindé.

O equipamento, situado na região central da cidade de São Paulo, recebeu o nome de Laudelina de Campos Melo. É uma homenagem a mulher negra, militante comunista, doméstica e responsável por organizar o primeiro sindicato das empregadas domésticas do Brasil.

A abertura da Casa reforça a reivindicação pelos direitos negados pelo município, sobretudo os serviços de assistência às mulheres vítimas de violência de gênero e violência do Estado.

Antes mesmo da pandemia, a política de morte do governo Bolsonaro aumentou os ataques às mulheres trabalhadoras de formas cruéis. Dados do Mapa da Desigualdade de 2020 mostram que, entre 2016 e 2019, a violência de gênero cresceu 64% na cidade de São Paulo e, como não bastasse, o feminicídio aumentou em perversos 72%.

Enquanto isso, o governo Dória, cortou R$ 3,5 milhões dos serviços de atendimento às mulheres que sofreram violência de gênero.

A cidade de São Paulo, com 12 milhões de habitantes, possui apenas quatro Centros de Referência, uma Casa Abrigo, uma Casa de Acolhimento Provisório e uma Casa da Mulher Brasileira. Esses poucos equipamentos demonstram que as políticas públicas são insuficientes para mulheres.

Nosso mandato esteve presente na abertura da casa e apoia de forma integral o movimento. 

  SAIBA COMO AJUDAR

Visite nossa ocupação para entender nossa luta e dar vida à casa.    

TRAGA MANTIMENTOS OU CONTRIBUA FINANCEIRAMENTE
Rafaela Carvalho
Caixa. Agência: 1367
Operação 013
Conta Poupança: 00032381-1    

COMPARTILHE NOSSAS REDES
@movimentoolga.sp