fbpx

Há motivos de sobra para o presidente ser afastado

Bolsonaro merece um processo de afastamento já.

 

Não só pelo que acabou de afirmar sobre a ex-presidenta Dilma Rousseff. Ele agora duvidou e negou que a ditadura militar a tivesse torturado. 

 

Há tempos o ex-capitão tem feito declarações que não condizem com a postura respeitosa de um político e mais ainda como presidente da República.

 

Suas ações e, sobretudo, suas omissões no combate à pandemia da Covid-19, não têm paralelo no mundo.  E chegam a nos envergonhar como nação.

 

O mínimo que se espera de alguém que ocupa o cargo de presidente é a capacidade de olhar para o Brasil como um todo.

 

Se espera de um autêntico líder a força para aglutinar o sofrimento do povo neste momento difícil, mas com o atual ocupante da cadeira presidencial o desprezo pela vida é exercício cotidiano. 

 

Sempre quando encontra apoiadores Bolsonaro não se contém e dispara insanidades como as infâmias direcionadas a presidenta Dilma Rousseff.

 

Ele não só demonstra o quanto é limitado, pois se dirige e governa apenas para os seus fanáticos. Ele reforça nessas pessoas o profundo desrespeito com aquelas que pensam diferente.

 

Não praticam a tolerância como virtude, mas disseminam o ódio. Exercitam a toda hora e sobre os mais variados assuntos deboches e opiniões rasas que evidenciam o desrespeito ao convívio civilizado.     

 

No entanto, o mais assustador é ver as reações tímidas das autoridades constituídas aos impropérios. As pessoas que poderiam tomar atitudes sobre esta conduta do presidente, se limitam a emitir notas de repúdio e comentários em twitters. É muito pouco para contrariar as asneiras proferidas por Bolsonaro.

 

O que diz nossa Constituição Federal sobre estas declarações em defesa da Ditadura? O que diz nossa legislação sobre as atitudes negacionistas (“É uma gripezinha” ou “E daí não sou coveiro”)?

 

Ou sobre o desinteresse criminoso em adquirir vacinas em pleno crescimento de casos e de óbitos pela pandemia no Brasil quando países mundo afora começam a imunizar suas populações?

 

Sim, temos muitos motivos, muitos mais contundentes do que o forjado para o afastamento da presidenta Dilma. A realidade é que falta vontade política ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e atitude aos ministros do Supremo Tribunal Federal.

 

Enquanto isso, além de presenciarmos as atrocidades saírem da boca do presidente, observamos um País em pleno desgoverno.

 

O número de desempregados não para de subir. A inflação volta a assustar e corroer os poucos ganhos e já falta sim prato de comida na mesa do povo.

 

Nessa contabilidade, já podemos colocar as quase 200 mil mortes pela Covid-19 como resultado da política genocida e de negação da ciência, das chacotas aos estudos de vacinas e tratamentos, nos cortes de investimentos em pesquisas e de atualização tecnológica.

 

Hoje, o Brasil registra a falta de plano de ação para vacinação, como já ocorre em países como Argentina e Estados Unidos.

 

Bolsonaro é um fracasso como governante. E o País está pagando com a fome e com vidas por essa infeliz escolha.

 

O povo brasileiro não merece tanto escárnio, não pode suportar tanto desprezo pela vida e desrespeito à dignidade humana.