fbpx

A Caixa tem que continuar 100% pública

Hoje, dia 23 de julho, funcionárias e funcionários da Caixa Econômica Federal estão realizando nova mobilização, através das redes sociais, contra a ameaça de privatização do banco.

A privatização é uma tentativa direta de acabar com os bens públicos do nosso País. A ação #MexeucomACaixaMexeuComOBrasil busca chamar a atenção da sociedade aos ataques que a Caixa vem sofrendo, assim como a tentativa de retirada de direitos dos seus trabalhadores.

Como banco de fomento, durante os governos LULA e DILMA a Caixa garantiu o acesso a crédito para os mais pobres, realizando de forma digna o sonho de muitos brasileiros e melhorando a vida das pessoas com programas para o povo, como o Construcard e Minha Casa Minha Vida, além de cuidar de direitos como o FGTS ou PIS. Além disso, a Caixa é fundamental para forçar os bancos privados a trabalharem com juros mais baixos.

Mas o Governo Bolsonaro pensa diferente. Com Guedes, que representa os banqueiros, o governo quer acabar com a Caixa e os benefícios ao povo brasileiro. Mesmo assim, a Caixa tem sido imprescindível durante a crise agravada pela pandemia do coronavírus, sendo responsável pelo pagamento do auxílio emergencial a 65,2 milhões de pessoas, além da liberação de saques do FGTS para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores. Isso sem contar o apoio à economia, com a concessão de empréstimos ao setor produtivo, neste momento crítico pelo qual o país atravessa.

Apesar disso, a direção do banco e o governo seguem na direção da privatização, com o encolhimento de sua função social, fatiamento por meio da venda das áreas mais rentáveis e estratégicas do banco, cobrança de metas abusivas e pressão para o retorno ao trabalho em meio à pandemia do coronavírus, precarizando cada vez mais as condições de trabalho.

Se for privatizado, o país perderá em investimentos em políticas públicas como saneamento básico, habitação, educação, saúde e segurança. Exemplificando, somente nos três primeiros meses de 2020, as Loterias da Caixa, que estão na mira da agenda privatista, arrecadaram R$ 4 bilhões. Desse total, cerca de R$ 1,5 bilhão foram transferidos aos programas sociais do governo federal nas áreas de seguridade social, esporte, cultura, segurança pública, educação e saúde, correspondendo a um repasse de 37,2% do total arrecadado.

É fundamental que todas e todos se mobilizem e se somem aos empregados da Caixa na defesa do fortalecimento do banco, para que o Brasil saia da crise após a pandemia, com mais investimentos públicos para gerar emprego e renda e respeito aos seus direitos com garantia de condições dignas de trabalho.

Nosso mandato está junto com as funcionárias e funcionários e com todos que são contra essa privatização.

Para participar é só usar a hashtag #MexeuComACaixaMexeuComOBrasil nas publicações no Twitter, Facebook e Instagram. Mobilize colegas, familiares e amigos para participarem. 

A Caixa é um banco dos brasileiros e 100% pública!