fbpx

Igualdade Racial / EUA e Brasil, com a questão racial

A morte de George Floyd nos EUA desencadeou os protestos por vários estados norte americanos e países. As manifestações também começaram a crescer no Brasil.

É de se estranhar que a morte do menino João Pedro dentro de sua casa no Rio de Janeiro não tenha desencadeado as mesmas reações. Ou o assassinato do menino Juan na frente da mãe e dos irmãozinhos na semana passada em Sapopemba na periferia da cidade de São Paulo.

Essas duas ocorrências não foram capazes de mobilizar protestos contra os autores dos assassinatos praticados por fardados aqui no Brasil, tal qual, ocorrem com as reações das comunidades negras norte-americanas.

Algumas questões merecem reflexões. Será que a tão falada cordialidade brasileira é na verdade covardia? É falta de consciência coletiva? É a incapacidade de se reconhecer como um povo diverso e único?

Episódios recentes não faltam em nosso território. Os 80 tiros disparados num carro de uma família negra? A chacina de jovens na comunidade de Paraisópolis? O assassinato da Marielle e Anderson? Todos esses crimes foram cometidos por homens de fardas!

E nós brasileiros vamos as ruas impulsionados pelo assassinato nos EUA! Os nossos mortos, ah… os nossos são negros e/ou pobres periféricos que provavelmente provocaram a própria morte! As versões oficiais, sempre elas prevalecendo.

A nossa incapacidade de se rebelar com o sofrimento do nosso próprio povo, com as imensas desigualdades sociais e com a discriminação racial nos condenam a um lugar distante do processo civilizatório!