fbpx

Covid-19 / Covas determina cortes de serviços para população carente

Nesta quinta-feira (28), dia em que a cidade de São Paulo registra o maior aumento do numero de casos de Covid-19 em 24h (6382 novos casos), o governo municipal, em documento dirigido aos gestores de parceria da rede socioassistencial e às Organizações da Sociedade Civil, a secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), Bereneci Giannella, determinou a redução e até cortes de verbas dos serviços prestados.

A medida abrange os serviços para a população mais vulnerável e a retirada de verba dos convênios não somente da Assistência Social, mas das pastas de Direitos Humanos e da Educação.

A decisão, conforme o documento, se baseia no Decreto 59.456, de 19 de maio passado, do prefeito Bruno Covas, e que trata da revisão dos contratos de convênios.

Para a vereadora Juliana Cardoso (PT) trata-se de um novo absurdo da gestão Covas, principalmente neste momento em que o numero de casos só cresce, tendo a população mais vunerável como a mais atingida. “Esse será um duro golpe naqueles que mais precisam de assistência neste momento, essa atitude só demonstra o descaso do prefeito com a população mais pobre da cidade”, afirma a vereadora, que complementa, “Enquanto se fala em retomada da economia abrindo os estabelecimentos comerciais como shoppings, a gestão corta os convênios e parcerias com as entidades, que prestam serviços necessários e fundamentais para a população mais vulnerável. E ainda pedem para a população ficar de quarentena”

A vereadora vai além. “Não faltam recursos. A Câmara Municipal aprovou remanejamento no orçamento de R$ 1,2 bilhões para a Prefeitura no combate à pandemia, oque falta é a vontade de evitar a morte de milhares de pessoas nesta cidade” acrescenta.