fbpx

Carta aberta / Tivemos a morte de mais um profissional da educação por falta de humanidade do governo municipal

A Rede Municipal de Ensino perdeu ontem mais uma professora vitima do corona vírus, a Educação da Cidade de São Paulo chora hoje juntamente com a família da professora por essa perda.

A Educação de São Paulo chora de tristeza e de revolta com esse governo Bruno Covas, a professora que morreu ontem tinha 39 anos e nenhum problema de saúde, era uma  mãe amorosa e professora dedicada,  estava de quarentena, não saia de casa, e foi infectada pelo Marido que é Diretor de escola. Todos os diretores e gestores de escolas da rede municipal, por determinação do Senhor Secretário de Educação Bruno Caetano, com aval do prefeito Bruno Covas, estão obrigados a cumprirem normalmente a jornada nas unidades.

Nosso mandato avisou, questionou e não foi ouvido pela secretária de Educação e nem pelo prefeito.

Vários ofícios, requerimentos, manifestos e notas  foram feitos para esse secretário  sobre  assunto, essa determinação foi muito questionada na rede toda.

E o que fez o Secretário da Educação Bruno Caetano? Nada! A resposta foi que os gestores precisavam estar nas unidades para guarda dos bens públicos.  

Secretário da Educação, o que lhe falta é exatamente EDUCAÇÃO para lidar com as pessoas, lhe falta habilidade politica para lidar com os assuntos públicos, lhe falta humanidade para entender e respeitar a vida das pessoas.

Hoje, como reflexo desta falta de humanidade, temos um marido desesperado, se culpando pela morte da esposa, tendo de ser acolhido por familiares e amigos, a distância. Inconformado, afirma não ter coragem de olhar para a filha e que terá de carregar essa culpa para o resto de sua vida, que também afirma não ter mais valor.

Será que o diretor é o culpado por mais esta vitíma?

Para ele, esta professora é o amor da vida que se foi. Para o senhor Bruno Caetano e o prefeito Bruno Covas é apenas um número nas estatisticas.

Em áudio desesperado, gravado na porta do Hospital do Servidor Público ontem, o professor comoveu e revoltou toda Rede de Ensino  Municipal de São Paulo, porque foi uma morte que poderia ter sido evitada e esse governo não evitou, pelo contrário foi o responsável.

Foi responsável quando em tempo de isolamento faz os Servidores Públicos saírem de casa para prestar serviço não essencial nesse momento que é de preservação da vida !

A verdade é que o Prefeito faz marketing politico das ações de combate à pandemia, as quais muitas não saem do papel e as pessoas vão morrendo

Para a família dela, era filha, mãe, tia e esposa, para os alunos era uma excelente professora, e para os amigos estava sempre presente.

É desolador o áudio do marido chorando pela perda e pela culpa.

Mas quero deixar um recado para esse marido que perdeu a esposa em razão da obrigatoriedade de ir ao trabalho.

Sentimos imensamente sua perda, sentimos muito pela dor que esta sentindo, choramos desde ontem quando recebemos seu áudio que foi compartilhado pelo WhatsApp.

E o mais importante que quero lhe dizer: Saiba que a morte de sua esposa não é culpa sua.

Quero deixar aqui algumas das ações que realizamos, exigindo o fim deste trabalho não excêncial, as quais a prefeitura e a secretaria de educação deram as costas. Mas saibam, continuaremos a lutar para que mais familias não sejam destruídas por esse desgoverno sem humanidade.

Abaixo assinado pedindo a extenção do processo de teletrabalho à todos os profissionais das Unidades escolares.

https://www.change.org/p/prefeito-bruno-covas-profissionais-da-educa%C3%A7%C3%A3o-em-s%C3%A3o-paulo-pedem-socorro/share_for_starters?just_created=true&tag_selected=health

Instrução Normativa Pedindo o teletrabalho a todos os profissionais das unidades de escolares

INSTRUÇÃO NORMATIVA SME Nº 13, DE 19 DE MARÇO DE 2020 6016.2020/0023705-4 ESTABELECE MEDIDAS TRANSITÓRIAS E ANTECIPA O PERÍODO DE RECESSO DAS UNIDADES EDUCACIONAIS DA REDE DIRETA E PARCEIRA EM RAZÃO DA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO – PANDEMIA DECORRENTE DO CORONAVÍRUS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso das atribuições legais e, CONSIDERANDO, – o estabelecido no Decreto nº 59.283, de 16/03/2020, republicado em 19/03/2020, que declara situação de emergência no Município de São Paulo e define outras medidas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus;

§ 2º A Chefia Imediata poderá adotar para os servidores o regime de teletrabalho previsto nos artigos 7º e 8º do Decreto nº 59.283/2020 e Portaria nº 24/SG/2020, garantindo a permanência de, no mínimo, de dois servidores nas Unidades Educacionais durante todo o período de funcionamento descrito no artigo 4º, § 1º.

§ 3º Os servidores em regime de teletrabalho deverão permanecer à disposição da Administração Pública Municipal durante o horário de expediente, de acordo com a jornada normal de trabalho, mantendo os dados para contato atualizados.