fbpx

Educação / Dória restringe auxilio alimentação de 4,5 milhões de estudantes em São Paulo

O governador de São Paulo, João Dória, garantiu mais uma derrota para os mais vulneráveis neste momento de crise que vivemos da pandemia do Corona Vírus. O governador tucano, entrou na justiça para derrubar a liminar que obrigava estado e a prefeitura a garantir o auxílio refeição aos estudantes da rede pública de ensino, durante a Crise do Covid-19.

Com base no pedido de João Dória, apoiado pelo prefeito Bruno Covas, o pedido de revogação da liminar foi acatado pelo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Geraldo Pinheiro Franco e, com isso,  os 4,5 milhões de estudantes que seriam beneficiados com a liminar, ficarão sem o auxilio refeição, via merenda escolar, que seria de R$ 101 para educação infantil EMEI, R$ 63 ao ensino fundamental  e  R$ 55 aos alunos do ensino médio, durante o periodo da pandemia.

Anteriormente, as autoridades haviam anunciado este auxilio para apenas 732 mil estudantes de famílias mais carentes, pelo meu mandato, apresentei requerimentos e oficios que pediam a ampliação deste auxilio, compreendendo que  para a grande maioria dos beneficiados, esta micro-renda significa a alimentação diária. A Defensoria Pública e o Ministério Público ajuizaram uma ação civil pública para que o benefício fosse estendido a todos os alunos da rede pública do estado e da capital paulista, por meio de uma liminar deferida em primeira instância. No entanto, a com a quebra desta liminar, isso não é mais realidade graças a atuação da dupla Doria/Covas.