Pronunciamento sobre a Amazônia – 22 de agosto de 2019

“Vivemos tempos muito obscuros”.

Essa tem sido uma frase que muitos de nós temos repetido a cada dia, desde que o Bolsonaro assumiu a presidência do país.

 Até segunda-feira dessa semana, dia 19 de agosto, falar da escuridão era uma metáfora pra gente expressar todo o retrocesso que estamos vivendo. O ataque aos direitos da classe trabalhadora, aos direitos humanos, as políticas sociais, a venda de nosso patrimônio, o ataque ao futuro de nossos filhos e netos.

Mas na Segunda-feira essa frase deixou de ser uma metáfora para se tornar realidade. Na segunda, nós vivemos a escuridão em sua mais brutal concretude. Na segunda-feira, o dia virou noite e a chuva caiu suja. E todos nós ficamos assustados com o que estava acontecendo.

Não demorou para que especialistas desvendassem o mistério. A razão da escuridão no Sudeste e em outras partes do país era a fumaça do fogo consome nossa floresta amazônica há semanas.

No dia 9 de agosto, os fazendeiros do sudoeste de Rondônia,  promoveram o “dia do fogo” para chamar atenção do governo federal, como noticiou um jornal local. Um dos organizadores do “protesto” disse a seguinte frase:

“Precisamos mostrar para o presidente que queremos trabalhar e único jeito é derrubando. E para formar e limpar nossas pastagens, é com fogo”,

            O que fez com que esse crime ambiental e humanitário fosse cometido é, sem dúvida alguma, a posição de Bolsonaro e seu ministro de destruir a política-ambiental brasileira que vem sendo construída com muita luta desde a promulgação de nossa constituição.  

            O enfraquecimento do IBAMA, concessão dos parques nacionais, a liberação de centenas de agrotóxicos é tão violenta, ela é tão absurda que até símbolos do desmatamento como o ex-governador e ex-ministro Blairo Maggi, que ganhou do uma organização ambientalista o prêmio MOTOSSERRA DE OURO, veio a público para demonstrar sua preocupação.

Não que ele esteja preocupado com o meio ambiente, porque sabemos pelo seu histórico que o que o preocupa são os negócios. Sua preocupação é com um cada vez mais provável travamento do acordo comercial  Mercosul – União Europeia.

Além de assassina, a política de Bolsonaro é de uma estupidez que assusta e envergonha a todos nós todos os dias! Não há um dia em que Bolsonaro homem não fale alguma bobagem ou grosseria. Não há um dia em que esse homem não questione as evidencias científicas, não exonere quem dele discorde, não crie fantasia parar continuar enganando aqueles que ainda acreditam que ele é um mito! Não um dia em que ele não ataque a nossa vida!

Depois de dizer que os médicos cubanos doutrinavam os brasileiros para formação de guerrilhas para justificar a destruição do Programa Mais Médicos, e outros absurdos, Bolsonaro diante do fato inegável e internacionalmente repercutido de que as nossas florestas estão sendo consumidas por mais de 70 mil focos de incêndio, veio a público dizer que eram as ongs ressentidas que estavam queimando a Amazônia para se vingarem da suspensão de parcerias com o poder público. Isso simplesmente é absurdo e ridículo!

Esse governo da morte que nos conduz para a escuridão, para a desesperança, para a barbárie emprega ideologia nos únicos temas que deveriam ser consenso entre visões de esquerda e direita que são os temas relacionados aos direitos humanos e ao meio ambiente.

A vida tem se tornado impossível no Brasil de Bolsonaro, mas como minha parenta diz: “Hoje eles queimam nossas casas, amanhã paramos as estradas!”

Eles nos atacam, nos matam, mas não vão calar as nossas vozes. Nós precisamos parar Bolsonaro, para a vida poder ser possível de ser vivida no Brasil! É URGENTE IMPEDIR O AVANÇO DA BARBÁRIE!!!