Duzentos torcedores protestam contra a retirada da camisa 'Quem Matou Marielle', na sede do Corinthians

Nesta sexta-feira, 2, cerca de duzentos corinthianos protestaram por mais de duas horas em frente ao Parque São Jorge, sede do Clube, na zona Leste de São Paulo.

Nesta noite, centenas de corinthianos realizaram manifestação contra a retirada da camisa “Quem matou Marielle” do memorial do Corinthians. A decisão foi tomada recentemente pelos Conselheiros do Clube que declararam ser de ‘cunho político’.

A camisa foi usada pelo jogador de basquete Gustavinho quando ganhou a taça da Liga Ouro e foi colocada em exposição no memorial do Corinthians. Na ocasião da homenagem, completavam-se cem dias da morte da vereadora, assassinada por razões políticas em um crime ainda não solucionado pela polícia.

Durante o protesto de hoje, os torcedores fizeram cantos, falas, projeções, gritos de ordem e a leitura de um manifesto. A principal reivindicação era a volta da camisa e por democracia no Corinthians.


“Essa retirada representa o apagamento do legado do Clube que, historicamente, honrou figuras públicas que lutaram por democracia e direitos sociais. Marielle foi uma delas”,
Juliana Cardoso

Entre os torcedores, estavam presentes representantes dos coletivos Democracia Corinthiana e Coringão Antifa; de torcidas uniformizadas como a Gaviões da Fiel e Pavilhão 12, alémde movimentos feministas e raciais.

– Ô, ô, ô, retirar a camisa é coisa de ditador.

– Devolver a camisa é obrigação, é o time do povo, é o Coringão.