500 dias sem Marielle | Obrigada, companheiras

O final de semana foi de emoções intensas. Quinhentas velas foram poucas para a gigante Marielle. Chegamos a 700 velas distribuídas ao longo de sábado, data de 500 dias de impunidade ao crime bárbaro que levou essa lutadora e, coincidentemente, o dia em que ela faria 40 anos. Promotoras legais, mulheres da pastoral de igreja, mulheres do MST e companheiras do assentamento Marielle Franco, companheiros e companheiras de festa julina e da quadra de escola de samba ‘Maria Cursi’, na vila Dalila. Todas vieram conosco nesta femenagem à guerreira.

Agradeço a cada uma das pessoas que compartilharam conosco desde a parte da manhã ao longo de todo dia.

No aniversário de 25 anos das Promotoras Legais Populares de São Paulo, distribuímos a primeira grande parte para as companheiras presentes. Na hora do almoço, a emoção também tomou conta no Encontro das Pastorais da Criança e Adolescente sobre Parto Humanizado.

No meio da tarde, estivemos com as mulheres do MST no aniversário de 17 anos da comuna da terra irmã Alberta, na região oeste da capital paulista. As companheiras do assentamento Marielle Franco também estavam presentes e juntas fizemos uma homenagem do tamanho que ela merece.

Por fim, com companheiros e companheiras da festa julina de vizinhos e amigos e nos 15 anos da comunidade de samba ‘Maria Cursi’, prestamos também a nossa ‘femenagem’ à Marielle. O evento ocorreu na Quadra da escola de Samba Flor de Vila Dalila, na zona Leste de São Paulo.

Marielle, presente.